Casando em Veneza | Bruna e Cristiano – Parte 5: A viagem

Olá noivinhas!

Nós do O Amor é Simples recebemos um pedido inusitado: fazer um vestido todo customizado para um casamento fora do país. Embarcamos com a Bruna nessa jornada pelo vestido ideal para casar, nada mais nada menos, que em Veneza!

A Bruna vai contar toda a história do casamento aqui no blog, então não perde nenhuma das partes. Hoje ela vai falar sobre todas as aventuras da viagem.

  • Perdeu a primeira parte do depoimento da Bruna? Confere aqui

A viagem:

Bom, até a noite anterior a viagem (10/04), que seria pela manhã, estava tudo organizado e neuroticamente checado. Sabe como é viagem e imagina a ansiedade com mais essa do casório?

Ocorre que a agência de viagem entra em contato a noite para informar que havia ocorrido um problema com os bilhetes aéreos e não teríamos como viajar no dia seguinte, mas que estavam tentando contornar a situação. Isso tudo na madruga. Quase morri, e assim foi o desespero até o dia 12 pela tarde, quando finalmente conseguimos um voo para o Marrocos. Sim, Marrocos! E o casal de padrinhos mais a daminha linda que iriam no mesmo voo foram parar em Lisboa.

Passagem comprada e viagem começando!

Santo Tiago, da Porto Travel Turismo, foi sensacional na operacionalização da viagem.

Além de toda essa confusão, tivemos que alterar todo o roteiro de parte da trip. Antes teria o seguinte percurso: Milão/ Verona/ Lago de Garda/ Trento/ Treviso/ Veneza. Mas tivemos que mudar para Milão/ Veneza/ Treviso/ Trento/ Lago de Garda/ Verona. Sem contar que influenciaria em todas as reservas da hospedagem, casamento, etc.

Mas chegando no Marrocos, adivinha?

O voo atrasou e deixou a conexão ainda mais apertada do que já estava. Resumo da opera: uma funcionária da CIA foi nos buscar no controle de segurança – falando em árabe – que o voo já estava saindo e tivemos que sair correndo e descalçados. Ufa, conseguimos chegar a tempo.

Chegando em Milão:

No dia 13, já em Milão, ficamos felizes em reencontrar nossos padrinhos e a daminha. Pelo menos o voo deles foi mais tranquilo, mas, adivinha?

Perderam algumas malas, por sorte e neurose o meu vestido e outras coisas importantes estavam na bagagem de mão. Mas o terno reserva do novo, ah esse se foi rumo à perdição.

Enlouquecida com a questão das bagagens que ainda não haviam sido entregues, no dia anterior a partida para Veneza (14) fomos até o outlet que comentei anteriormente e depois de percorrido todo o estabelecimento que não é pequeno, conseguimos finalmente encontrar o terno, ufa.

As 23h59 do dia 14/04 toca o telefone do quarto. Nem acredito as malas haviam sido entregues, tudo certinho, mas quebraram a roda e a estrutura da mala aiaiaiai.

Finalmente, dia 15/04, #partiuveneza. Tempo de percurso: pelo menos 3 horas de carro. Checa tudo novamente: malas? Ok; Roupas? Ok; Unhas da noiva? aiaiaiaiaia um horror. Passei a viagem inteira cuidando o GPS, pois era o nosso primeiro percurso de carro na via expressa na Itália e fazendo as unhas daquele jeito ahahahaha.

Chegamos em Veneza no limite do horário, pois às 16h30min deveriamos encontrar a equipe da empresa responsável pela cerimônia. Pegamos o Vaporetto (Transporte público – aquático – de Veneza) e tinha um baita sol.

Vaporetto (Transporte público – aquático – de Veneza)

Chegando à Piazza San Marco – a pé, porque não trafegam carros naquela região – totalmente perdidos quanto à localização do hotel, adivinha? Chuva. Mas não era pouca não, era muitaaaaa chuva, bagagens, celular inundado, GPS perdidão nas ruelas de Veneza e tínhamos apenas 1 hora para se arrumar, pois era chegada a hora do casório que aconteceria ao ar livre.

Já no hotel, desesperada tentando negociar a transferência da data da cerimônia em função da chuva, a proprietária da empresa não parava de enviar frases motivacionais e prints do clima dizendo que iria passar – mega otimista e eu apavorada!

Confusão a parte, fui correndo me arrumar – não tenho muita frescura. Tomei banho voando, fiz minha maquiagem e minha madrinha salvou minha vida fazendo meus cachos – Grazie Liliana! Durante esse tempo quase que uma pomba (tem muitas por toda a Itália) invade o quarto e faz estragos no vestido, mas ficamos livres de mais essa faceta, ufa!

O noivo ficou se arrumando no quarto dos padrinhos, bem tranquilão, kkkkk.

Quando ela terminou o cabelo fui correndo para a rua ver alguns colares que tinha visto na vitrine da loja em frente ao hotel, coisa de mulher, kkk. Mas imaginem a cena: de havaianas, cabelos mega encaracolados, toda maquiada, vestido de noiva e desesperada no meio da rua escolhendo um colar. Ah, e já estava no horário do pessoal da empresa contratada chegar, e … nada dos demais convidados e padrinhos chegarem.

Meu irmão, que mora na Austrália, tinha que encontrar uma amiga de Dublin para vir ao casamento e ainda tinham que localizar o nosso amigo que mora na Alemanha, mas veio da Áustria, pois talvez o mesmo estivesse perdido. Tudo meio confuso mesmo, kkkk, mas eles se encontraram e estavam a caminho.

Chegando ao quarto o noivo ainda não estava lá, e eu sabia que os convidados também não haviam chegado. Os outros padrinhos também estavam se arrumando ainda, e, tentando ligar para eles, sempre atendia um japonês, quase morri.

Bem, quando o noivo chegou, falamos rapidamente e o pessoal da empresa disse que tínhamos que sair para fazer as fotos. Vocês acreditam que quando estávamos saindo do hotel demos de cara com os convidados atrasados? Ahahahahah, nem acreditei. Abracei-os como se não houvesse amanhã, de tão feliz.


A história da Bruna continua! Não perde aqui no blog as outras partes

Parte 1: Planejamento

Parte 2: Padrinhos e madrinhas

Parte 3: O vestido ideal

Parte 4: Casamento DIY 

Parte 6: O casamento


Postado por O Amor é Simples
Vestidos para noivas que acreditam na simplicidade do amor.

Deixe uma resposta