O casamento caseiro da Bianca e do Marcelo

Para a Bianca e o Marcelo, de Porto Alegre/RS, ter o casamento dos sonhos significava fazer um grande almoço em família! Os noivos decoraram um lindo espaço ao ar livre com móveis de suas próprias famílias e conseguiram criar a atmosfera perfeita para que todos se sentissem em casa <3

Venha conhecer essa história!

Você pode nos contar um pouco sobre sua celebração de casamento?

Nosso casamento foi um sonho! Marcelo e eu tivemos um período bem difícil no relacionamento, em que nosso amor e fé foram testados, e, após vencer essa fase, decidimos que nossa celebração seria para mostrar ao mundo que finais felizes são sim possíveis, e que com muito amor e companheirismo tudo pode acontecer!

Cada detalhe da cerimônia foi pensado para que os convidados sentissem o amor ao seu redor, e deixamos todo mundo à vontade para que viessem com roupas confortáveis, sem terno, gravata e salto alto (quantas vezes compramos roupas para um evento e nunca mais usamos depois? Precisamos repensar isso também!). Meu noivo entrou com a sobrinha e eu com meu irmão, pois tanto a mãe dele quanto o meu pai já desencarnaram.

Meu irmão ainda me fez uma surpresa e tocou a música preferida do nosso pai (“Azul da cor do mar”), mostrando o quanto ele estava presente em espírito naquele momento. Meus avós (casados há 62 anos) foram nossos “aios”: entregaram nossas alianças e nos deixaram seu testemunho de amor e companheirismo.

Foi preciso trocar de celebrante na semana do casamento, e foi o melhor presente que poderíamos receber (a prova de que quando as coisas saem do “controle” é Deus agindo nas nossas vidas), pois ele conduziu a cerimônia de uma maneira tão especial e harmônica que todo mundo se emocionou! Cheguei de Kombi até a cerimônia, o noivo usou AllStar e roupa branca e chegou na caçamba de uma Amarok junto com os padrinhos. Servimos picolé, algodão doce e maçã do amor, tudo a nossa cara! E, por fim. fomos abençoados com um dia lindo de sol e céu azul!

Por que você optou por uma cerimônia igual a essa?

Sempre tivemos a vontade de celebrar nossa união, mas não sabíamos exatamente como. Alguns anos atrás fomos em um casamento ao ar livre (no mesmo local onde casamos) e percebemos que era exatamente aquilo que a gente queria. Um casamento que parecesse um grande almoço de família que vai se estendendo o dia todo! Queríamos um dia inteiro perto dos amigos e familiares, com comida e bebida boa e à vontade! O resultado foi bem legal, todo mundo gostou, e nós conseguimos aproveitar muito mais o nosso dia! 

Quanto tempo você levou organizando tudo?

Organizei o casamento em 10 meses, porém eu já tinha salvo na mente (e no arquivo do celular) todas as referências e fornecedores que eu queria. Me envolvi em tudo, fiz muita coisa em casa (o que dá mais significado e diminui custos) e fui pagando com antecedência tudo que podia. 

Como foi a escolha do seu vestido?

Eu queria algo leve, fluido, que eu pudesse dançar muito e que fosse meu depois. Conheci O Amor é Simples antes mesmo de ser pedida em casamento, sempre amei o Gaia, porém na inauguração eu me apaixonei pelo Pitanga e fiquei super na dúvida. Até que as meninas falaram: por que não o modelo de um com a renda do outro? Meu vestido dos sonhos estava pronto!

Para sua festa, houve alguma coisa que você não abrisse mão de jeito nenhum?

Muita fartura e dança! Como foi ao ar livre, montamos uma pista de dança que ficou bem legal e o pessoal usou bastante!! Meus avós arrasaram na pista inclusive!

Em que a decoração foi inspirada?

Basicamente na casa da minha mãe! Haha
Usamos muitos objetos nossos. Minha mãe tem itens de decoração rústica que a gente adora. Curtimos tudo que é vintage e rústico. Tudo tinha significado! A máquina de escrever era do meu pai, a louça era dos meus avós paternos, as toalhas de crochê da minha avó materna, os tapetes da minha mãe, as redes (sim colocamos redes para o pessoal descansar depois do almoço) eram do meu avô, e por aí vai!

Para honrar nossos antepassados, revelei fotos deles e enrolamos em uma árvore, fazendo nossa própria “árvore genealógica”. E mesmo sendo de dia montamos luzes entre as árvores que deram mais aconchego. A ideia era que as pessoas se sentissem em casa mesmo!

Qual seria o 1º conselho que você daria para suas amigas noivas?

Se envolva em todas etapas da organização com amor e vontade. Porque às vezes bate o desespero de que as coisas não vão dar certo, mas se a gente coloca amor no que faz não tem como dar errado. Ah, e tenha uma ótima cerimonialista!

Marcelo “apareceu” para mim em sonho 1 mês antes de nos conhecermos (somos umbandistas, então acreditamos nisso!). Ele era amigo de uma amiga da adolescência, mas só nos conhecemos 4 anos atrás (ele com 41 e eu com 30). Somos de Porto Alegre, e nosso casamento aconteceu em um lugar lindo chamado Estância Província de São Pedro, que fica em Gravataí/RS.

Deixe uma resposta